Glitch Review | Jazzpunk: Director’s Cut

Fica aqui um aviso: por mais trailers, análises e a vídeos de jogabilidade que assistirem, nada vos irá preparar para a demência surreal de Jazzpunk: Director’s Cut. Seja no computador, PS4 ou no Commodore 64 do vosso pai, o jogo (ou experiência ou estudo sociológico disfarçado, ainda que bastante eficaz) da Necrophone Games irá surpreender-vos pela positiva. Se não fosse pela sua duração e o preço atual, diria que é absolutamente imperdível para todos os jogadores que adoram uma boa, ainda que surreal, piada. Continue a ler “Glitch Review | Jazzpunk: Director’s Cut”

Glitch Review | Rise of the Tomb Raider

Passou um ano desde que a Crystal Dynamics lançou a sequela do reboot de Tomb Raider. O jogo de 2013, apesar da polémica, surpreendeu-me. Esperava uma tentativa de copiar Uncharted (ironicamente, dada a “inspiração” da série da Naughty Dog), mas senti que havia algo genuíno. Este sentimento, porém, dependia da convicção de que Tomb Raider (2013) pretendia ser um ponto de partida. Continue a ler “Glitch Review | Rise of the Tomb Raider”

5 jogos a evitar no Halloween

Não existe nada mais fácil que chegar ao Halloween e criar uma lista com os videojogos mais assustadores que já jogámos. É tão fácil que é de caras, está no papo até antes de começarmos a escrever. Por essa mesma razão, e porque não gosto que o Glitch Effect tenha mais visualizações, decide quebrar a tradição e falar não nos melhores, mas sim nos piores jogos de terror que já joguei. É esta a minha vida. Continue a ler “5 jogos a evitar no Halloween”

Glitch Review | Jotun: Valhalla Edition

Se não me tivesse caído do céu, ou melhor, se não me tivessem falado de Jotun, provavelmente era um título que, com alguma pena minha, nunca iria conhecer. E a prova é que não é um jogo novo, já teve o seu primeiro aniversário e como prenda para os jogadores, chegou às consolas com uma Valhalla Edition. Continue a ler “Glitch Review | Jotun: Valhalla Edition”