GEEKOUT

Para quando mais patches Next-Gen na PlayStation 5?

Com tanto poder na PlayStation 5, o que te impede Sony?

Full Disclaimer: sou um velho a gritar para as nuvens e não faço ideia do que custa realmente trabalhar os jogos, por isso, este é um pedido com base em comparações e alguns exemplos de sucesso.

A PlayStation 5 é uma máquina fantástica. Grande, sexy, completa, fresca, poderosa e com características que a torna realmente next-gen, como o seu comando, o DualSense, que já gabei aqui anteriormente, e um lineup de lançamento (com títulos a caminho) com jogos desenhados em exclusivo para o seu hardware. Mas falta-lhe algo.

A retrocompatibilidade é uma novidade no ecossistema da Sony desde o meio da geração da PS3. Sim, desde essa altura existiram diferentes maneiras de jogar títulos antigos, como jogos da PS1 emulados, remasterizações pagas e, mais recentemente, através da magia da cloud com o PS Now. Mas com a PS5 é a primeira vez, desde os tempos da PS2, que a Sony oferece retrocompatibilidade total com uma geração anterior e é fantástico. Estaria a aplaudir a Sony neste momento se tivessem ido mais longe, mas já me contento. Afinal de contas, muito do que quero jogar hoje não tem mais do que 5-6 anos.

Uma ótima coleção, mas sabem quantos é que estão adaptados para a PlayStation 5?

Contudo, não tenho encontrado grandes motivações em revisitar o excelente output da PlayStation na geração passada por uma simples razão: quase tudo corre e comporta-se como antes. Com grande poder, há uma grande responsabilidade e, talvez por estarmos mimados pela concorrência direta, a Xbox, ou pelas expectativas dúbias criadas durante o período de antecipação pela PlayStation 5, a nova consola deveria correr alguns jogos com melhor desempenho out of the box. Mais especificamente os seus exclusivos.

Days Gone e Ghost of Tsushima são dois exemplos de jogos que correm de forma fantástica na nova consola. Com um “simples patch”, estão Next-Gen Ready, com a consola capaz de produzir resoluções até 4K a 60fps, com uma fluidez e clareza únicas e quase impossíveis na PS4 Pro. Olhando para o output da Xbox, são vários os jogos também a receberem tratamentos semelhantes para duas, repito, duas máquinas distintas.

Segundo a Digital Foundry, Ghost of Tsushima opera a 1800p na PS5, tal como na PS4 Pro. Mas a 60fps, tudo muda.

Por isso pergunto, onde andam os vossos “remasters”? Ao longo da antecipação para a PlayStation 5, foram imensos os meus colegas e amigos que me diziam “só jogo/repito jogo X quando a PlayStation 5 sair” na expectativa de, por exemplo, um Uncharted, um God of War ou um The Last of Us Part II (não é que este precise mas…) pudessem correr ainda melhor e sem compromissos na nova máquina. Infelizmente, ainda aqui estamos sentados à espera. É certo que Spider-Man recebeu tratamento Next-Gen, mas numa nova versão a pagar devido a melhorias realmente substanciais, mas não acho que seja isso que pedimos agora.

Eu próprio prometi que iria dar uma nova hipótese ao Bloodborne e finalmente terminá-lo se a PlayStation 5 lhe desse um update em resolução e fluidez. Até ver, estamos muito bem e ainda não preciso de chatear-me e atirar o DualSense ao chão, mas para o bem dos meus amigos doentes que desejam o mesmo, era tão bom que a Sony mostrasse pelo menos interesse em patchar alguns dos seus melhores jogos. A sério, o que te impede Sony?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: