A vida em Farming Simulator 2019

O

s meus avós nasceram no Alentejo, na aldeia do Ervedal, concelho de Avis, a alguns quilómetros de Estremoz e outros tantos de Portalegre. Naquela terra esquecida, cada vez mais envelhecida e perdida no tempo, eles escavaram os campos e colheram azeitonas atrás de azeitonas  para conseguirem ter um pedaço de pão ou de carne ou até um pouco de azeite para comerem à noite. Levantaram-se todos os dias de manhã, juntamente com o sol, e nunca pensaram em parar por um único dia. Até se mudarem para Lisboa com o meu pai, a agricultura era o seu ganha-pão e a sua única forma de sobrevivência.

4180503119_70c32de6bf_b.jpg
Ainda existem pessoas que defendem afincadamente que a Ponte do Ervedal inspirou a Ponte 25 de Abril e não o contrário.

Ao contrário dos meus avós, eu cresci em Lisboa, mais especificamente em Moscavide, concelho de Loures, a alguns quilómetros da capital e a imensos de Leiria. Lá, fui habituado a ter comida na mesa, a não pensar na fome, na falta de dinheiro. Acordava quando tinha de acordar e a escola era a minha única obrigatoriedade. Nunca compreendi a realidade dos meus avós e durante anos considerei esta dependência pela agricultura como algo retrógada. Com tantos avanços tecnológicos, pensava eu, adolescente e rebelde sem causa, por que haveria de ser necessário escavar a terra com as mãos ou com as enxadas? Essa realidade parecia ser de há séculos atrás.

Para minha surpresa, encontro-me agora com Farming Simulator 2019 instalado na minha consola. Se não fosse pelo GLITCH, isto nunca iria acontecer, mas esta viagem pelo mundo da agricultura não vinha por acaso. Apesar da minha falta de talento em jogos de gestão e simulação, não fosse a minha paciência demasiado curta para este tipo de jogabilidades, existia uma curiosidade palpável em saber o que fascinava estes amantes da agricultura. E com o meu historial familiar, tudo se coadunava.

Talvez Farming Simulator 2019 não seja a melhor forma de lidar com o passado e com uma realidade que me é, indiretamente , tão familiar. Como um simulador, o jogo coloca-nos em controlo de vários campos de cultivo que devem ser tratados e cuidados ao longo de vários dias. Para termos colheitas, temos de gerir o nosso tempo e com essa gestão teremos o dinheiro suficiente para contratar mais ajudantes, comprar mais terrenos e aumentar a nossa produtividade. Farming Simulator 2019 assenta neste ciclo de gestão e colheita que irá certamente deliciar os amantes do género e todos os curiosos por uma prática que parece estar tão distante.

Custa-me admitir isto, talvez por vergonha, mas rapidamente apercebi-me de que este jogo, e todo o género em si, não é para mim. Não há qualquer envolvimento pessoal nesta demanda por melhores colheitas ou o investimento necessário para complementar a repetibilidade da experiência, que nos coloca diariamente a executar  as mesmas tarefas. Esta aposta no realismo e na gestão afastam-me de um género que via com alguma curiosidade, mas que agora me obriga a admitir que tenho de seguir em frente. São apenas falhas pessoais enquanto jogador, com ou sem paciência, e fica a permanecer a dúvida se sentirei o mesmo em jogos mais simples como Harvest Moon ou Stardew Valley.

Este regresso às origens estava comprometido desde o início e eu sei disso. A repetição e o número elevado de tarefas são dois fatores (pessoais) negativos que são incontornáveis num simulador. Não há nada a fazer, senão seguir em frente e admitir que existem géneros que não foram feitos para nos agradar. Não é necessário adorar um jogo, ou esforçarmo-nos para o jogar, apenas porque tenta recriar um cenário mais realista tanto no seu mundo como na jogabilidade. Farming Simulator 2019 é apenas para fãs, com ou sem problemas, mesmo que se trate do mesmo jogo todos os anos e cujos gráficos ficam aquém do esperado. No final do dia, não é isso que importa. Como não consigo afastar este desgosto permanente pelo género, onde a minha incompreensão e falta de paciência suplantam qualquer prazer que poderia ter com o jogo, afasto-me. E sinto-me bem com essa decisão. Ao menos tentei.

farming-simulator-19-wallpaper-5.jpg
O jogo apresenta vários veículos e tipos de campos de cultivo para satisfazer os entusiastas, e os controlos são acessíveis, mas este é um género de jogo que exige a paciência dos jogadores.

Os meus avós cultivaram campos inteiros, levantaram-se com o sol, conviveram com os seus compadres e esperaram dias, semanas e meses para colher os frutos do seu trabalho. Todos os dias, sem exceção, saiam de casa, cheios de frio ou sob um sol implacável, para garantirem que tinham comida suficiente para o meu pai. Eu, que nunca cultivei um jarro de flores, não consigo sequer fingir que sou um agricultor, quanto mais sujar as minhas mãos com a terra alentejana. Esta é a realidade dos nossos tempos e sinto-me enternecido pela lição que os meus avós me ensinaram à distância, agora noutra vida. Mesmo sem mo poderem dizer pessoalmente, eu sei o que eles disseram e pensaram enquanto jogava Farming Simulator 2019: o nosso neto é tão preguiçoso e impaciente, mas ao menos é bom rapaz.

Talvez um dia até experimente apanhar azeitonas, só para saber como é, mas tenho a certeza de que nunca mais vou jogar Farming Simulator 2019 na minha vida.

O código (PS4) foi cedido pela Ecoplay.

2 pensamentos sobre “A vida em Farming Simulator 2019

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.