Saltar para o conteúdo

Sadie, oh Sadie

sadie_red_dead_redemption_2

AVISO: Este texto contém SPOILERS.

Já havia visto a Sadie em publicações da Rockstar, muito antes de Red Dead Redemption 2 ter chegado às mãos dos jogadores.

“Quem é ela?”, perguntei no grupo do GLITCH – o hype era real e não se falava de outra coisa. Uma rápida pesquisa revelou que era Sadie, mas, na altura, não quis saber mais nada. Estava em blackout total, para poder descobrir o jogo por completo e, por isso, ficou apenas um nome e o fascínio por uma nova personagem feminina que, já na altura, se adivinhava poderosa.

Não pensei mais na Sadie até a reencontrar, desta vez, já no mundo do novo Red Dead, já pela mão e olhos de Arthur. Para meu espanto, aquela Sadie era diferente da que aparecia no poster divulgado pela Rockstar: estava frágil e perdida, sozinha e indefesa, sem rumo e sem poder. Salvei-a, ofereci-lhe o apoio das palavras – tanto quanto um “greet” no acampamento permite – e voltei, vezes sem conta, a clicar no quadrado do DualShock 4 para ver como estava. Se ainda continuava com o gangue, se estava a recuperar, se havia parado de chorar, se, afinal, já se havia reencontrado.

Tinha perdido a casa, o marido e a vida como a conhecia e, a cada reencontro, eu percebia menos como é que aquela Sadie poderia ser a outra Sadie – aquela cuja imagem me tinha feito pensar “damn Rockstar, you did it again!”.

The side-eye game is strong with this one.

Assim sendo, a Sadie era mesmo importante.

A verdade é que se passaram os dias, multiplicaram-se as missões e as saídas para caçar, as bounties – umas pagas, outras não – os estranhos que precisam de ajuda, os pedidos de quem ficava pelo acampamento, os problemas de um mundo em mudança e, claro, as (importantes) trocas de look de Arthur.

A Sadie ficou para trás, até que…

… nos é dada a oportunidade de sairmos com ela em missão. Chega de fininho, como quem não quer a coisa, sem criar expectativas. Primeiros segundos e o diálogo deixa adivinhar um humor mordaz; primeiros minutos e Sadie renasce: o vestido dá lugar e calças e camisa, o choro dá lugar à confiança e desenvoltura de quem quer comandar o funcionário da loja que teima em não arrumar bem a mercadoria, a fragilidade, essa, é trocada pela vontade de ser ela a ditar o ritmo do regresso a casa. E eu, que assisto a isto tudo, acabo por descobrir a Sadie do poster.

Independente, vestida a rigor, por fora e por dentro, para nos mostrar o novo mix de Catalina e Kendall – partes iguais de pêlo na venta e feminilidade – assinado pela Rockstar.

Sitting. Chilling. Killing.

Há qualquer coisa de especial numa personagem feminina que não é forçada. Mais ainda quando é forte com contexto e inserida na história com propósito. Brilhante é quando, acima disto tudo, há uma evolução da personagem, ainda que esta possa acontecer nos bastidores.

Não faço ideia se outros jogadores(as) sentiram o mesmo que eu, contudo, a curva da história pessoal de Sadie marcou-me e ainda agora o jogo vai no início. É uma mudança silenciosa, que se dá ao longo da evolução dos primeiros momentos do jogo e que é notada apenas por aqueles que realmente o quiserem fazer. Uma espécie de renascer das cinzas – quase literalmente, tendo em conta que a sua casa arde no início do jogo – sobre o qual quero ver mais.

Sadie é uma mulher de pêlo na venta e eu gosto disso. A minha avó também o era. E eu gosto de pensar que também faço parte desse grupo, em conjunto com tantas outras gamers, também elas de pêlo na venta, que consideram Sadie uma OG Female Character.

Seja como for, uma coisa é certa: ainda há muito da história de Sadie para descobrir.

Continua…

VanessaDias Ver todos

Fã de RPG e conhecida por completar, mais vezes do que o recomendado, os jogos que mais adoro. Also love pizza.

3 thoughts on “Sadie, oh Sadie Deixe um comentário

  1. Também me surpreendeu a sua personalidade. Para ser sincero, nem me lembrava dela até as suas missões começarem. Os personagens são demasiado bons e, toda a trama inicial, fez com que ela ficasse de lado (dentro da minha cabeça). É de facto uma personagem com uma personalidade “beast”, que se revela de uma extrema confiança nos seus atos e uma pessoa na qual podemos confiar. Inicialmente pensei: “Que raio de missões são estas agora, que tenho de andar a fazer com esta mulher'” No entanto, as coisas começaram a ficar interessantes com a sua evolução de personalidade. Oh boy! Estávamos a caminho de algo muito bom! Eu vejo-a como a Carol do The Walking Dead – frágil ao início e letal passado umas temporadas. A voz de Sadie é intensa e transmite atitude! Sem dúvida, uma das personagens revelação do jogo! Venha de lá esse DLC de história focado na miúda!! ^^

    Gostar

    • Pedro, não faria uma descrição melhor – incluindo a comparação perfeita com Carol (que também adoro e considero uma das melhores personagens de The Walking Dead). Ainda tenho muito para jogar e descobrir, mas acredito que vou sentir exatamente o mesmo com a progressão da história. Volto a esta seção de comentários quando isso acontecer, deal? Ah, e o DLC de história também tem o meu voto – já dou por mim a não querer que o RDR2 acabe. Muito obrigada pelo teu feedback e comentário 🙂

      Liked by 1 person

      • Oh sh*t… ainda bem que não me estiquei nos comentários, já vi que ainda não chegou ao fim da história. Por acaso tinha o artigo em espera, para ler, com medo que houvessem alguns spoils ^^ Depois logo comenta então. Bom resto de jogo 😉

        Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: