O Padrinho resolve

O lançamento de Mafia III está a ser conturbado. Nada de novo, tendo em conta o estado atual da indústria, onde atualizações de lançamento são norma e onde é quase esperado que um jogo chegue ao mercado com problemas que serão resolvidos nos dias após a estreia.

Ainda que discorde com este posicionamento – de achar que é aceitável lançar um jogo com problemas, muitas vezes, graves, ou, no caso do Mafia III, com um bloqueio de frames no PC completamente ridículo – devo dizer que sou apologista de lidar com isto numa ótica de “do mal o menos”.

O que quero dizer é: já que vamos receber jogos neste estado que, pelo menos, a equipa de produção, comunicação e PR estejam preparadas para fazer controlo dos danos. A comunicação em momentos de crise é muito importante e, no caso do Mafia III, o trabalho desempenhado poderá ser um bom exemplo de como lidar com a raiva da multidão – inclusive daqueles que nem vão comprar o jogo, mas gostam de ir mandar achas para a fogueira.

Cassandra, confiante, momentos antes do lançamento do jogo.

Uma vez que estou interessada nesta nova entrada na série, acompanhei o lançamento e esperei pela reação da comunidade. Li análises, vi vídeos no Youtube, mas também caí no buraco negro que são os comentários na página de Facebook oficial de Mafia III. E o que me surpreendeu, pela positiva, foi que a equipa estava a responder ao feedback e queixas dos jogadores.

Há respostas aos comentários positivos, opções de resolução de problemas para quem se queixa de crashes, agradecimentos às sugestões dos jogadores, indicações sobre atualizações futuras e informação específica para jogadores da Xbox One que não conseguiam aceder ao DLC de pré-reserva. Adicionalmente, e como resposta ao problema de limite de resolução no PC, a equipa agiu rapidamente e, no fim de semana que seguiu o lançamento, já havia um patch que desbloqueava a resolução nesta plataforma.

Cassandra depois de ver os vídeos de bugs e os comentários no Steam sobre o jogo no qual entra.
Cassandra, em lágrimas, depois de ver os vídeos de bugs e os comentários no Steam sobre o jogo no qual entra.

Ainda que isto só tenha sido possível à custa de uma equipa que deve ter trabalhado mais do que a conta no pós-lançamento – e bem sabemos os problemas graves que a indústria tem quando o tema são condições de trabalho – esta situação é também a prova de como se deve fazer um acompanhamento de estreia quando o jogo não está, efetivamente, a responder aos valores de produção e jogabilidade que devia.

Não é aceitável que um jogo com tantos problemas chegue às mãos dos jogadores, mas ainda menos o é quando tal acontece e as equipas por trás do produto não fazem uma gestão eficaz do problema. *cofcofBatmancofcofArkhamKnightcofcof*

Props para o nosso conterrâneo que anda a meter a 2K na ordem!
Props para o nosso conterrâneo que anda a meter a 2K na ordem!

Contudo, é preciso reforçar que os problemas do jogo se encontram longe de estar totalmente resolvidos. Aliás, nem sei se alguma vez o estarão, já que acredito que será um título com bugs ocasionais, tendo em conta os vídeos sobre o assunto que vi. Ainda assim, só comprará quem quiser.

Deste lado, vou esperar pela atualização de vestuário e armas que já foi anunciada e logo aí ponderarei comprar o jogo – mesmo que tenha mostrado a minha revolta com o fim da tradicional “cosa nostra” da série. Pode ser que com um fato clássico vestido o saudosismo diminua.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.